quinta-feira, 17 de junho de 2010

Assista ao curta sobre a super produção onde Pelé faz seu último gol contra a Argentina

Pelé disse que tinha um sonho. O Rei do Futebol queria que seu último gol tivesse sido com a amarelinha, e não com a do New York Cosmos, o clube americano pelo qual encerrou a carreira na década de 1970.

Pele435-9Pelé entrou em campo para filmar curta em sua homenagem

Então uma legião de mais de 600 profissionais, entre diretores de publicidade, técnicos, iluminadores etc etc – e mais de mil figurantes – ficaram dois dias enfurnados no estádio do Morumbi. O objetivo era tornar “realidade” o sonho de Pelé.

Eles estavam lá para filmar “1284”, curta-metragem criado pela Young & Rubicam, com produção da O2 Filmes, para a Vivo. O título é uma referência ao total de gols de Pelé em sua carreira – foram 1283, ou 1284, com o “gol” que o curta proporciona ao Rei do Futebol.

Com requintes de superprodução e cerca de sete minutos, o filme tem um detalhe que o torna diferente: você não o verá na TV; ele foi pensado e criado para a internet.

Um novo paradigma de produção?

Trata-se de um fato que merece atenção do mercado, dos profissionais de web e também dos internautas que querem ver na tela do PC ou smartphones produções de qualidade: raríssimas vezes no Brasil, se é que houve alguma (alguém aí lembra de outro exemplo?) um curta-metragem com linguagem cinematográfica, embora servindo a objetivos institucionais de uma marca, foi bancado por uma empresa.

E não se trata de um comercial propriamente dito – refiro-me à linguagem e ao tratamento dado ao filme, isso sem falar nos sete minutos de duração, algo impensável para exibição publicitária na TV.

O curta foi dirigido por Nando Olival e Luciano Moura, da O2 Filmes, e teve produção-executiva de Fernando Meirelles, diretor de “Cidade de Deus” e sócio da produtora. Olival tem vários curtas de cinema no currículo e um longa-metragem, Domésticas, dirigido ao lado de Meirelles, enquanto Luciano prepara seu primeiro longa.

“É um filme institucional, mas não é publicidade. É cinema”, afirma Cristina Duclos, diretora de imagem e comunicação da Vivo. “É uma produção milionária feita só para a web. Optamos por esse caminho porque é para ficar disponível para todo mundo ver”, afirma, sem revelar valores.

Contra a Argentina é mais gostoso

O filme mostra um jogo especial em que Pelé, aos 70 anos, tenta cumprir o seu sonho de marcar o gol derradeiro com a camisa amarela. Comentaristas, locutores e torcedores estão ansiosos por ver o Rei novamente em campo. E contra a Argentina, claro – teria graça se fosse outro time?

Pele435-5Filme com o Rei quer fisgar internauta pela emoção

O roteiro está recheado de suspense e emoção. É para pegar pelo coração. Emoção que contagiou também aos profissionais que trabalharam na produção do curta.

“Eu fiquei particularmente emocionado quando o Pelé estava no círculo central, pronto para dar o pontapé inicial no jogo, numa cena no começo do curta. Eu pensei: “estou vendo o Pelé em campo com a camisa do Brasil!”, conta Luiz Braga, do setor de atendimento da O2 Filmes.

“Pelé é a figura mais carismática que conheci na minha vida. Os profissionais que estavam trabalhando no filme, os figurantes, todos queriam falar com ele, estar perto”, diz Braga.

“E eu não me contive: pedi para bater uma foto com ele”, afirma Braga, bem-humorado.

Segundo Cris Duclos, Pelé não mediu esforços durante as filmagens. “Ele ficou conosco 12 horas em cada um dos dias. Sabia que era cinema, que era uma proposta diferente”.

O processo de filmagem

Para registrar a aventura do gol final do Rei, o curta contou com seis câmeras principais. Três delas ficaram sob o comando de Olival, que se concentrou mais em flagrar a reação da torcida e dos comentaristas, enquanto Moura ficou com os lances do campo.

Pele435-1Produção fechou o Morumbi por dois dias

A tentativa foi de recriar um jogo da maneira mais verossímil possível, diz Braga. “Com o prazo insano de filmagem – tínhamos só dois dias de Morumbi, usado por nós já com o Campeonato Brasileiro em andamento -, a melhor maneira de filmar era, a partir de um roteiro básico e o plano de filmagem, deixar o jogo correr e flagrar os melhores lances”, afirma Braga.

“Foi um jogo mesmo. A cabeceada que o Pelé dá em um determinado momento aconteceu de fato e não estava programada.”

O tom verossímil foi reforçado pela presença de “atores” no curta como Rivelino e Carlos Alberto Torres, heróis do tricampeonato mundial ao lado de Pelé. O médico e comentarista Osmar de Oliveira e Orlando Duarte também participaram do curta.

“Foi uma filmagem heróica. Temos 22 horas de material bruto”, diz Braga.

O curta “1284″ pode ser visto no hotsite da Vivo, no YouTube ou aqui embaixo.

 

 

E aqui você vê o making of do curta.

 

 

Via IDG Now!

Nenhum comentário:

Postar um comentário