segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Banda cuiabana Macaco Bong lança CD e DVD ao vivo em São Paulo!

Confira a matéria de Augusto Gomes publicada no IG neste fim de semana.

A banda cuiabana Macaco Bong faz, neste domingo (30), o show de lançamento de seu primeiro CD e DVD ao vivo. A apresentação acontece no Auditório Ibirapuera, em São Paulo, mesmo local da gravação do CD - o DVD foi filmado pouco depois no Palácio das Artes, em Belo Horizonte. Alguns dos convidados especiais do disco também estarão presentes no show, como o pianista Vitor Araújo. Mas a performance de hoje traz uma parceria inédita com o rapper paulistano Emicida. Parceria que, em breve, deve render um álbum.

"Queremos fazer um disco juntos. A parceria está bem no começo, mas a identificação entre a gente é forte", revela o baixista do Macaco Bong, Ney Hugo. Para quem acha estranha a mistura do rap de Emicida com o rock instrumental do Macaco Bong, Ney diz apenas que "nós somos bem abertos a tudo". "Não queremos nos prender a fórmulas antigas, tanto nós quanto o Emicida. Estamos nessa de fazer algo diferente, sem se preocupar como as pessoas vão rotular", explica.

O som do Macaco Bong é mesmo difícil de definir. "Artista Igual Pedreiro", primeiro disco deste trio de Cuiabá, no Mato Grosso, traz dez faixas instrumentais que misturam psicodelia, experimentação e peso, que pode ser tanto chamado de rock quanto de jazz. No CD e DVD ao vivo "Macaco Bong e Convidados", a mistura ainda inclui um pianista de formação clássica (Vitor Araújo), um virtuose da percussão (Jack, da banda Porcas Borboletas), um rabequeiro (Siba) e um naipe de metais (cortesia do Móveis Coloniais de Acaju).

Desse pessoal todo, apenas os integrantes do Móveis não estarão hoje no Auditório Ibirapuera porque, segundo ele, "têm outro show marcado". O repertório incluirá uma música inédita, chamada "Morangotango". "Fizemos junto com o Siba", conta o baixista. "No restante do show vamos tocar músicas do 'Artista Igual Pedreiro', mantendo a estrutura do disco, mas com a galera temperando". E um novo álbum de estúdio? De acordo com Ney Hugo, só depois que a banda "circular o show". "Antes de gravar nosso primeiro disco, ficamos dois anos tocando aquelas músicas. No segundo também vamos fazer assim: primeiro tocar ao vivo e só depois gravar", afirma.

Isso porque, na visão do Macaco Bong, o "produto" é o show, muito mais que o disco. "O CD é só um cartão de visita", diz. A banda, não custa lembrar, lançou seu álbum de estreia primeiro como download gratuito pela internet, antes de colocar o disco físico nas lojas. "Enquanto as grandes gravadoras falam de crise, nós estamos aqui nos virando. Mesmo com menos grana, conseguimos fazer mais coisa que eles", acredita. "A gente é igual ao Brasil na crise econômica mundial. As pessoas olham pra gente e falam 'como esses caras conseguem ficar fora?'", ri.

Confira alguns vídeos do show :

 


    


 




 


Mais infos:



- http://www.myspace.com/macacobong


- http://twitter.com/macacobong

Nenhum comentário:

Postar um comentário